segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Breves linhas sobre o tempo

O tempo demora muito.
Parece ter preguiça de fazer seu trabalho, ou quem sabe ele tenha decidido apenas dormir...
O tempo algumas vezes para.
Transforma-se de linha reta em um círculo infinito, onde somos levados para o mesmo ponto muitas e muitas vezes.
E nos aprisiona em lugares, vivências, pessoas, sentimentos e situações de forma simetricamente circular...
O tempo é teimoso.
Faz de nós o que ele quiser, e não importa o quanto a gente peça ou mesmo implore aos 7 Deuses de todas as dimensões do universo para que ele acelere nossa caminhada rumo ao Sol.
É então que ele resolve nos fazer olhar pra trás antes do próximo passo.
E lembrar, e relembrar, e reviver tudo o que tanto queremos apenas deixar no passado.
Mas o passado é a esposa do tempo.
O presente é seu filho e o futuro...O futuro é apenas seu amante.

4 comentários:

Única e Exclusiva disse...

Eu quero ser amante sempre, sem saber do meu tempo e doq vai ser daqui pra frente. Não quero ser controlada. Viver na melhor das estruturas do amor, é oq me cabe, agora e sempre!

Bjs
ú&e <3

Ela disse...

verdades,
eu diria ainda, o tempo... este vilào disfarçado.


saudade de ti!

Glaucia disse...

Ai , literalmente eu mandei o tempo ir passear...
Cansei de um monte de coisas, estou mudando outras várias coisas sobretudo estou mudando a minha pessoa, tanto física quanto psicológica.
Cansei dos meus dramas, cansei de mim, cansei de quem cansou de mim e resolvi sacudir as coisas, afinal de contas pra que serve inteligência se ela só nos leva a refletir sobre a existência sem que mudemos ela em nem um aspecto???
Quero mudar, preciso mudar, senão vou deixar de existir e vou virar uma sombra á sombra do tempo, e pior uma sombra do tempo, pessoas e sentimentos que independente de minha vontade passaram, só eu que não posos passar junto com tudo isto, viver é indispensável nesse momento....
Pronto falei...
rsss
Bj
Glau

Casa de Mariah disse...

O tempo é tinhoso. Tem vontade propria. Corre rápido quando a gente quer que páre e pára quanto a gente quer que ele voe.
Maldição de tempo tinhoso.