segunda-feira, 16 de março de 2009

Responda-me

Quem tem a segurança dos domadores, a certeza sem cautela dos incautos, e expressão plácida dos viajantes ao chegar em seu destino, a resposta para a quintessência universal, a convicção plena dos sábios bicentenários...Quem?
Quem pode afirmar ter encontrado o que realmente busca e precisa?
Sem hesitações, sem contrapartidas, sem aspas, parênteses ou reticências...Quem?
Quem, em sã consciência, deixa para trás o amor da sua vida mesmo sabendo que jamais irá esquecê-lo?
Para viver eternamente com fantasmas atormentando suas noites insones?
Para, anos depois, certificar-se de que cometeu um terrível engano?
Para perdê-lo para sempre como balões ao vento?

Isso é mesmo necessário?

12 comentários:

Única e Exclusiva disse...

A vida é uma roda gigante, hoje sabemos oq qremos amanhã não mais e desistimos doq conquistamos, e partimos pra conquistar outra coisa, e assim se faz a vida, entre escolhas, ora certas, ora enganadas, e sabe quem tem esta resposta?! O bom e velho tempo!! Ele sabe tudo...

Tinha mais a falar, mas, prefiro me calar!!

Bjinhos ú&e ;**********

... disse...

Tudo bem que as perguntas não foram pra mim, mas sinceramente tudo que aqui consta não tem resposta. Infelizmente não tem...
Bj
Glau

Monique Frebell disse...

Necessário talvez não seja, mas a vida nos impulsiona a tomar certas atitudes impensadas, e dá nisso.

Fazer o quê?
Corre atrás do balão, talvez dê tempo de alcançá-lo ainda...

Bju e sorte!

Magna Santos disse...

Nossa, Marcelo, e isso são amenidades?
Fico pensando se a história seja não viver eternamente no "se". Acho um perigo. Arrepender-se, voltar atrás, quando dá. Quando não dá, é porque o caminho já é outro, certamente, foi tudo o que se pôde fazer naquele momento. Agora é deixar o balão ir e cuidar da festa pra vir outro, quando for a hora.
Abraço.
Magna

BANDEIRAS disse...

Amigo,
As respostas estão dentro de cada um e cada um tem suas respostas diferentes.

Bjs c/ carinho

Ale Danyluk disse...

Má,
A eterna busca...Conheço bem isso tudo e todos os seus desdobramentos e continuo aqui sem respostas rsrsrsrs.
Dizem que amamos aquilo que nos falta, que sempre nos interessamos ou admiramos exatamente o que gostariamos de ter ou ser... Entre outras neuroses vitais... Mas as certezas acho que inexistem.E acredito que assim o são porque se as tivéssemos não dariamos valor a elas. Realmente somos seres complexos e incompletos...
E é aí que está toda a graça de continuar persistindo...
Má, o que tiver que ser será...
Insista sempre em fazer parte da sua vida (sim) e da dos outros (também).
Beijoooooooooo

"Não há uma coisa que se faça por um ser (que se faça verdadeiramente) que não negue um outro. E quando não nos podemos resignar a negar os seres, há uma lei que nos estiriliza para sempre. De certo modo, amar um ser é matar todos os outros. "

Albert Camus, in 'Cadernos'

Ivich disse...

Quem sabe o que é relamente necessário? Solte os balões... Eles podem alegrar outras pessoas, e talvez não te façam falta!

€aµ disse...

Euuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
Não seiiiiiiiiiiiii!!!!!

hehehehehehe

Olá menino azul... eu aqui de volta, às voltas pela blogosfera!

P.S.: Lembrei da velha máxima: "Quando pensei que sabia todas as resposta, veio a vida e mudou todas as perguntas!"

;o)

Roberto Ney disse...

só posso alegrar-te com a notícia de que não está só em tuas dúvidas. eu também tenho minhas esfinges com seus questionamentos intermináveis. Algumas vezes, eu os tenho decifrado. outras, tenho-me deixado devorar...
mas desejo que seus balões de amor sempre voltem, mesmo que os ventos os levem para longe.
vc ganhou um fã...
abraço!

Dois Rios disse...

Oi, Marcelo!

Estive sem Internet por quase um mês e por isso sumi daqui.

Teus textos fazem-me pensar como sempre.

A propósito, para vivermos e nos deleitarmos com boas doses de felicidade é preciso, sobretudo, coragem. Isso sim, é indispensável.

Beijos,
Inês

Um dos Cinco disse...

Sua resposta é ninguém. E não é questão de ser ou nao necessário e sim de que as pessoas tentam buscar para suas vidas sempre algo que sabem nunca poder ter.

Decisões inpensadas e repentinas fazem parte do nosso cotidiano, a gente aprende com elas.

Mariana disse...

Oi, meu anjo, vim te beijar.
Bom domingo, beijo