domingo, 22 de março de 2009

Schmetterling

Naquele estranho momento da sua vida, tudo o que ele queria era ficar só...
Ficar em silêncio, sem responder perguntas, sem receber cartas, telefonemas, presentes ou atenções.
Ele precisava ficar, estar, em comunhão consigo mesmo.
Pensar, repensar, rever conceitos, valores, ações, reações, erros e acertos...
Aquele momento era apenas dele, e ninguém teria o poder, ou a sua licença, para invadir seu espaço. Não naquele momento, não naquela hora.
Absolutamente ninguém...

Isso não significava que ele deixara de amar, de querer ou de se importar com quem ele se importa, ama ou quer.
Significava apenas que era chegada a hora do trem parar em uma nova estação, hora de descer, esticar as pernas, inspirar profundamente o ar fresco da manhã e revigorar-se para a continuação da viagem.

Daquela estação em diante ele seria outro homem, com outro corpo, outra alma, novo ânimo e novo coração.
Tudo o que conheceram ou souberam dele não mais faria sentido ou se encaixaria no homem que veriam daqui pra frente.
Mas para que essa transformação se desse de forma completa e definitiva, ele precisava de solidão, silêncio e paz.
Retração...Era chegada a hora de resgatar quem de fato ele é.



(Dedico essas linhas a todas as pessoas que realmente se importam comigo.
As que gostam de mim, as que me encantam e se encantam comigo, as que amo e que me amam, as que me apaixonam e que são apaixonadas por mim, as que odeio e que me odeiam, as que perguntam diariamente o que vem acontecendo comigo, qual o motivo do meu silêncio tumular, das minhas reticências infinitas e, aparentemente, infundadas.
As que sentem a minha falta e incomodam-se com a minha repentina falta de respostas, para que compreendam que tudo o que eu preciso agora é de paz, e de mim mesmo...
E que tenham paciência comigo pois ultrapassei meus próprios limites de forma inconseqüente e injustificada.
Agora preciso redesenhar meus mapas, re-delimitar minhas fronteiras e minar meus campos para que nunca mais eu permita que inimigos invadam meu país azul.)

8 comentários:

Marina disse...

Todo mundo precisa de um recesso. Faça o seu valer a pena.

Beijos, Marcelo!

Ivich disse...

Que você se encontre e volte logo!
Sorte!!

Beijos

Única e Exclusiva disse...

Merecido(s)!!!

bjos ú&e

Verônica Cobas disse...

Caro Marcelo,

Para os que,como nós, se expressam e se espremem entre as palavras, não há demanda maior do que por esse momento em que é preciso mergulhar na mais infinita solidão para recomeçar, reaprender, reacender... É um período sabático, quase peregrino, em que o mergulho nem mesmo busca a luz, mas o encontro. Com tudo aquilo que somos, das faces coloridas às obscuras vestes. Te sou solidária...daqui de meu cantinhho. E observadora silenciosa do momento de teu retorno. bjs. Veronica

Luana Ferraz disse...

Você como sempre transparente, forte...


beijos

Monique Frebell disse...

Você é tão especial que até a definição da sua agonia vira poesia.

Cuide bem do seu solo. Aproveite esse tempo só seu pra reinventar-se e descobrir-se mais consciente, estratégico e prudente.

Não deixe que matem a sua alegria...

Bjus!

Cantinho da Lane disse...

no começo de seu post, achoq vc descreveu exatamente como me sinto as evzes... acho q todos nós temos esse momento ...
aproveite muito o seu!
beijocas e dá uma olhadinha no meu blog. tem post novo! tenha uma ótima semana e beijoca no coraçao!!:)

Roberto Ney disse...

desejo que vc mergulhe no profundo abismo do seu ser e, após naufragar em seu mar de desencontros, encontre-se por completo. e saiba que com palavras tão belas, vc afeta muitos leitores entusiasmados como eu, que, mesmo sem conhecê-lo, torcem muito pela sua felicidade e pelas suas descobertas.
grande abraço!