sexta-feira, 13 de março de 2009

Alfarrábios

Meu teclado negro oferece-me suas letras para que eu construa palavras, para que as palavras me construam, me decifrem, me revelem além das minhas máscaras, dos meus disfarces, dos meus dogmas e das minhas ilusões.
Para que eu demonstre, para mim mesmo, a verdade que ainda se esconde.
Para que eu liberte os monstros que me habitam, as vozes que me ecoam, os sentimentos mais obtusos, confusos, reais que me aprisionam...
Pressiono essas teclas na velocidade da luz sem saber, de fato, qual será a cara do meu filho, permito que minha alma dite o que ela tem a dizer, sem preocupar-me com achismos, opiniões alheias, críticas ácidas ou mesmo ofensas.
Um diálogo comigo mesmo, busca de algo que ainda não conheço, resgate de algo que perdi, entrega a algo que sou e que me dá colo, calor, carinho...
Ritmo, hermetismo, transparência, coragem, determinação, surrealismos...
O monstro de mil olhos me observa atento, saboreia cada linha como a carne sangrenta da sua caça, procura em mim mais um defeito, mais uma fraqueza, outra revelação.
E gargalha, com seus 7 amigos e seu amor de brinquedo, um som abafado por entre seus dentes afiados pois me tem como o pior dos mortais.

Meu teclado negro oferece-me suas letras para que eu construa minhas asas. Para que, com a linha do meu raciocínio, eu costure idéias, teça pensamentos e cubra-me com meu manto de sentidos multicores.

10 comentários:

Monique Frebell disse...

É mesmo mágico a arte de escrever e deixar fluir tudo o que estamos a sentir no exato momento.
Digitar sem medo de entregar segredos, com a confiança de termos traçado certos limites aos nossos dedos...

Bjuu!

paula barros disse...

Será que todo teclado negro ajuda a construir asas? rsrs Ando voando muito.

Mas o seu teclado negro é mais inteligente, bem mais.

Também vejo o escrever por esse prisma. E o ler determinados blogs também.

abraços

Edna Federico disse...

Ah, meu amigo, tenho certeza que ele será tão generoso com você quanto foi comigo!
Aliás, a cada linha sua que leio, aprendo mais um pouco...afinal, não aprendemos com tudo e todos nessa vida?
Grande beijo.

Avassaladora disse...

Maecelo, pode ter certeza que eu tb tento construir minhas asas...
Mas elas andam sempre quebradas...rs
Daí nunca consigo voar!
Acho que meu teclado tá com defeito!
Olha, mas usando de lindas palavras, escrevestes um poema lindo!

Um beijo em seu coração!

Pelos caminhos da vida. disse...

Tem selinho la pra vc.

Fim de semana de luz.

beijooo.

Obrigado pela sua visita,espero poder contar mais vezes com ela.

paula barros disse...

Se um dia você se perguntar porque seu nome não está nos meus links, é só porque eu vivia aqui, e de vez em quando me coloco de castigo.

abraços, e tudo de bom para você.

... disse...

As palavras são amigas libertadoras que cultivo próximas á mim...
Elas nascem dentro da gente, no nosso pensamento, ganham o mundo e com sorte entram novamente no pensamento, só que de outras pessoas...
Acredito que aí reside a nobreza das palavras, elas se doam, se entregam sem receios...
Glaucia

Bella disse...

Maravilhoso teclado negro...adorei teu texto!

Narradora disse...

Gostei muito dessa idéia contrastante: alfarrábio e teclado. Muito legal.
Bjs

Pelos caminhos da vida. disse...

Uma ótima semana pra vc.

beijooo.