terça-feira, 14 de julho de 2009

Esquecendo de esquecer

Acho engraçada a forma com que meu coração dispara quando leio o que você escreve.
Tento não ler, não ver, não sentir, não me importar, ignorar...
Mas algo em mim insiste teimosamente em manter algum tipo de vínculo contigo, nem que seja tão vago e sombrio quanto vê-la escrever coisas para outro que, um dia, você escreveu para mim.
Essa espécie de descontrole miocárdico costuma se dar de manhã, quando ainda estou perdido entre o sonho e a realidade.
Talvez seja saudade, preocupação, desejo de saber de você, das suas coisas, seus desejos, seus projetos, seus sonhos e realizações.
Um não fazer de você algo morto, esquecido, desprezado, perdido em algum lugar de um distante passado.
O bom senso me aconselha diariamente a agir de forma contrária, mas o que fazer quando o amor supera o temor?

18 comentários:

Gabi Magnani disse...

Apaixonado, Marcelo? Quer saber? Acho que quando o amor chega a este nível, é impossível segurá-lo. Por que não vai atrás dela? Dane-se o bom senso.

BANDEIRAS disse...

... é amar é muito complicado...bem sei...vivo isso na pele...dói, mas tbm dá prazer...dá prazer ...mas incomoda e toma a nossa mente 24 horas por dia...

O que fazer ?

Beijinhos
saudades...

Giane disse...

E desde quando o Amor é sensato?
Quando ele torna-se cheio de senso é Amizade.

Beijos mil, Marcelo!!!

* Bela* disse...

É complicado né?!
Sei bem o que você diz...Já senti, já vivi...
O conselho que te dou é:
Se vc achar que vale a pena retroceder...VOLTE!Ainda é tempo.
Se achar que não vale...PROSSIGA!
Ha muitos rostos pra se conhecer,
Ha muitos sentimentos novos que vão nascer,
Ha amores pra se encantar!

Não tenha medo do novo, do inesperado.
Viva pro que vale a pena viver!

BjoS =)

Patricia disse...

Já estava preocupada com sua ausência!!! Que bom que apareceu!

Amar é complicado, as vezes da vontade de largar tudo e viver esse amor. Em outras temos que pensar com racionalidade e nos controlar.
ver ela escrever para outro não deve ser muito "saudável" então, espero que seja a forma que você se sinta mais vivo e que isso te faça mais bem do que mal.

Beijos Má!

Marina disse...

Difícil não se manter apaixonado cultivando essa paixão com belas palavras, mesmo que sejam escritas para outro. Ou talvez por causa disso. Mas às vezes, isso é só o que nos resta.

Lindo texto, Marcelo.
Beijos!

Carmim disse...

Ao longo da vida vai-se esquecendo tanta coisa e tanta gente sem olhar para trás que, talvez por "castigo" ou ironia do destino, sempre chega o dia em que o esquecimento se esquece de nós e perpetua memórias que gostaríamos de não ter.

Beijo.

Cláudia disse...

Escolher o amor, sempre! Escolher-te a ti mesmo Marcelo.Acima de tudo, passando por cima de todos os temores...

Glaucia disse...

Funciona mais ou menos assim , creio eu....
Quando ama-se muito alguém, no começo a gente sente muita falta e não consegue resistir em saber notícias, é normal, muitas vezes isso dura muito tempo, a gente tenta de todas as formas conquistar de novo a pessoa que amamos e perdemos, as vezes consegue-se fazer isso, mas existe a possibilidade de não conseguir, quando não conseguimos, existe uma tendência tb natural de persistir tentando de inúmeras formas conquistar essa pessoa, mas normalmente essas formas são desastrosas, daí sofremos quando vemos o objeto do nosso amor se entregando e se derretendo para outra pessoa, sendo feliz da vida nos braços de outro ou outra e isso pode tb durar muito tempo.
Mas o tempo passa e se o amor não for resgatado por um retorno ao relacionamento, ele vai morrendo á mingua com as agressões diárias de ver as declarações para outros, com o descaso que é a pior forma de desamor, até que um dia o amor que torna-se um paciente terminal fica com os batimentos cardíacos diminuídos, ele não morre definitivamente para desespero de quem o sente, mas ele muda, pelo simples fato de que nesse ato de amar e se machucar não somos mais os mesmos, por que ficam muitas cicatrizes... O que sobra é um carinho distante, um traço leve do amor que foi forte e imenso um dia.
Acho que é mais ou menos isso...
Glaucia

Giane disse...

Oi, Marcelo!

Perdoa minha ousadia, mas preciso de um favor. Deixei uma pergunta no ar, lá no Alfarrábio e gostaria de ler sua resposta lá, se possível.
Desde já Agradeço!

Beijos mil!!!

Narradora disse...

Doido isso.
Doído isso.
Bjs

BANDEIRAS disse...

...passando para deixar um beijinho de amiga.

saudades de ti...

Alessandra disse...

Ja dizia o poeta: "O amor tem razoes que a propria razao desconhece".

Bj.

Monique Frebell disse...

O amor é mesmo ousado e não tem medo de tentar. Ainda bem, né, senão não seria o amor.

Bjs, Marcelo!
Sdd de vc la no meu cantinho!

Glaucia disse...

Olá menino...
Só para dizer olá mesmo...
Glau

Dois Rios disse...

Marcelo,

Comparo o amor a um barco num sobe e desce das ondas. Deixe-o então navegar ao sabor dos ventos. Se tiver que ser, ele voltará a ancorar no seu cais. Deixe as coisas fluirem. As vezes o silêncio é a melhor forma de fazer o outro ouvir.

Saudades daqui!

Beijos,
Inês

Humana disse...

Olá Marcelo,
realmente o "coração tem razões que a razão desconhece" e é dificil falar de bom senso em determinados momentos.
Um beijo :D

Ana Bella Carolina disse...

O amor não faz idéia do quanto nos faz sofrer.. seria cômico, se não fosse angustiante... Mas assim é a vida, esquecer não vamos jamais, mais uma hora aprenderemos a lidar com essa perda, e a tamanha falta que nos alucina..
Grande beijo, fica com Deus!