sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Por tudo isso

Por teimosia você esquece o seu corpo na minha cama, deixando as marcas do amor em nossos lençóis.
Por insistência espalha seus cabelos pela casa, impregna minhas roupas com o seu cheiro, salpica seu tempero na minha comida, organiza meus discos e livros como você prefere que fiquem, rabisca meu espelho com as cores do seu batom, guarda seu vestido no meu armário, faz dele uma edícula particular de flores raras, muito delicadas e muito caras.
Fita-me com seus olhos infantis dizendo-me ternamente que posso fazer da minha vida o que eu quiser. Que você não se importa, que eu posso partir...
E esconde as chaves.
Por brincadeira você abre as minhas gavetas, espalha as minhas coisas no chão, rasga as minhas cartas, devolve os meus presentes, afasta o que acha por bem afastar de mim, me diz o que vestir, o que ouvir, o que ler, o que escrever, o que dar e o que receber.
Por posse você entra e sai da minha vida como quem passeia livremente em terreno indubitavelmente conquistado.
Demarca as minhas fronteiras, elege as minhas bandeiras, comanda os meus soldados.
Mas não se esquece de dizer-me que posso partir, que você não se importa, que posso voar.
E esconde-me as asas, resmunga insatisfeita ao aproximar-me da porta, tece ameaças terríveis ao ver-me olhando em direção oposta.
Por cuidado ensina-me que cometo erros, ordena que preciso solucionar as mais intrincadas equações, avisa-me impaciente que devo ser tudo aquilo que sonhou.
Por segurança você me abandona, diz que nunca mais irá voltar, joga-me em um canto qualquer, nega me amar, aprofunda as minhas feridas ainda abertas, faz-me sangrar mais uma vez e bate a porta atrás de mim.
Mas leva as chaves e as asas...
Volta sorrateira dizendo que não a mereço, que amaldiçoa o dia em que me conheceu, que me odeia, que sou o motivo de todas as suas tristezas, de todos os seus choros, de todas as suas dores.
Culpa-me por todas as suas angústias enquanto aninha-me em seus braços e beija a minha boca outra vez.

Por brincadeira obedeço.
Por insistência eu te aceito.
Por segurança eu não parto.
Por posse eu me entrego.
Por cuidado eu cresço.
Por teimosia, eu te amo...

16 comentários:

Karine disse...

Que bonito.

Luciene de Morais disse...

Que amor, hein! Mas cheio de adrenalina.
Beijo

mary ienke disse...

Sincero e convicto!
saudades dos posts!!!
Beijos!

Juliana David disse...

Olá Marcelo!!!

Feliz 2009!!!

Comece pensando positivo,
Encha seu coração de sonhos,
Não brinque com os enfadonhos,
Diga a você que são apenas sonhos.

Entre em seu coração,
Dê aquele faxinão,
E quem sabe a emoção,
Resolve dizer sim ou não,
Não tenha medo da paixão.

Somos feitos como folhas ao vento,
Que manhecem ao relento,
Murcham pelo tormento,
Mas aquecem com o acalento.

Deixe a luz entrar,
O Sol abrir,
Deixe o olhar da criança sorrir.

Obrigada pelas belas palavras sempre!!!

Beijos

Patricia disse...

Estava com saudades de ler seus textos fortes e sedutores novamente.
Fico muito feliz quendo vc se sente aberto a falar de amor, ou de alguém dessa forma
Seu jeito de escrever cativa cada vez, mais e mais.

Saudades daqui, mas aos poucos to voltando.

Beijosssssssssss

Renata disse...

Oi marcelo,qto tempo!

achei que o amenidades tivesse "saído do ar"..rs.. Há um tempo atrás (um bom tempo na verdade) tentei entrar aqui e não consegui. Depois fui eu quem deu uma saída por aí..rs.. Mas enfim, desde julho venho voltando aos poucos à blogosfera, na minha nova "casa", o CLOSER. E aos poucos reencontrando os amigos, ou sendo encontrada por eles..rs.. Por isso vim aqui hoje, dizer que te "achei", e q vai ser muito bom poder visitá-lo novamente. Espero que esteja bem e desejo um ótimo 2009 pra vc! Bjo!

@line-;-- disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Inside Me disse...

viximaria, genteeeeeeeeeeemm, vc anda mais poético e perfeito no escrever do que nunca! parabéns, caro autor, saudades de vossa senhoria, abraços

Dany disse...

Marcelo, vc me surpreende a cada dia com seus textos!
É de uma perfeição ímpar!
Já disse que sou sua fã!?
Não!?
POIS EU SOU! Fanzonaaaaa... assina minha carteirinha?! hahahaha

Lindo texto!! E mulheres são todas assim... estão sempre se testando (até onde podem aguentar ou ir) e sempre testando os homens (pra saber até onde vcs podem ir ou se arriscar por nós)!
;)

Mas no fundo, só queremos ser amadas, amar, ser respeitadas, protegidas e nos sentir seguras!
Bjs

Edna Federico disse...

E por inteligência eu sempre venho aqui ler esses textos lindos que você escreve!
Beijo, beijo...

Marina disse...

Paradoxal como o amor de verdade, diferente dos filmes "felizes para sempre" que se vê por aí.

Lindo, Marcelo! Abraço!

Adri disse...

Marcelo vim desejar que seu 2009 seja cheio de coisas boas... Bju ;)

Ivich disse...

Que texto lindo! Nós mulheres somos tão dominadoras assim? ;)
Bjim

BANDEIRAS disse...

Perfeito !!!
Na verdade, é isso o que acontece conosco; deixamos nos fazer de marionetes, gritamos que odiamos isso, mas no fundo, é tudo o que queremos...ser comandados, ser manipulados. O que jamais queremos é não ter alguem para ao menos nos ligar e perguntar : vc está bem ?

Bjs e bom início de ano.

Assim que sou disse...

Coisa delirante esse tal de amor. Que nos tira do prumo e direciona no caminho que fecha quebra-cabeças; que alimenta a alma e nos mata de sede; que faz verdade o que sabemos tantas vezes não ser.
Que bom que é assim, Marcelo. Que bom! bjs. Veronica

Apenas isso... disse...

Ah o amor...!
por não querer dominar, magoar,... e sim amar, atrapalha-se. Comete o oposto junto ao oposto!!
(acho q não fui mt clara, mais esse 'joguinho' de amar e o tal do quanto se deve "cede aqui, cede ali" ainda não foi compreendido! Alias, para o bem dos casais, o tempo e o amor se encarrega de reformular e unir as 'instruções'!!)

Ah... queria dizer novamente (...depois de um tempo sumida por aqui =)) que me amaarro nos seus textos, que de um jeito ou de outro me fazem refletir no passado e me ajudam a construir o presente!!

BJãoo