domingo, 9 de novembro de 2008

Reticências significam continuidade...(Ou, entrelinhas desnessárias embora presentes)

O quarto era muito pequeno e soturno mesmo para um artista que enxergava apenas beleza e poesia no caos em que se tornara a sua vida...

Do lado direito, encostado em uma das paredes mofadas pela umidade e de frente para a porta, estava a cama de aço descascado pelo tempo, e sobre ela um colchão fino coberto por um velho lençol acinzentado onde descansava, solene, um único travesseiro velho e úmido.
À esquerda da cama a janela de persianas negras ainda fechada mas que permitia, entre as suas falhas, que um tênue raio de Sol, dourado ao entardecer poluído de Eisenach, tocasse o chão de pinho.
Sob a janela uma exótica mesa revestida por algum material esverdeado com longas e finas pernas metálicas.
No teto a luminária de latão com pingentes de plástico amarelos e vermelhos, palco de minúsculos insetos alados desenhando círculos de uma irritância infinita.
Às suas costas o guarda-roupas escuro, dotado de duas portas sinuosas e nenhuma gaveta, onde residiam três enormes baratas as quais, por um raro lampejo de justiça, o artista do caos decidiu não matar, afinal eram as moradoras mais antigas daquele ambiente triste e empoeirado...

18 comentários:

Vivian disse...

...éééé!!

triste realidade quando
tantas pessoas só encontram
como companhia asquerosos
insetos, às vezes até ouvintes
de suas desilusões.

bjusss

Dany disse...

nossa, como pode ele encontrar beleza e poesia num quarto assim?
Cruzes, hehehehe... me perdoe, mas eu não conviveria num mesmo ambiente com uma barata, quiça 3!=D
Bjs

BelaCavalcanti disse...

bom, finalmente eu tenho que te agradecer por que se não fosse a sua 'ajuda' eu jamais descobriria a falta de escrupulos e a maldade de pessoas que eu ate gostava...veja bem, falei ate rsrsrs. A vc, meu muito obrigada.

Patricia disse...

Td isso me parece muito solitário, vc se sente assim?

sse é seu quarto? Não consigo imaginar , parece meio triste.

Beijos!
=)

Ivich disse...

....tão dispensáveis e tão presentes quanto as batatas nas gavetas. Assim vejo as reticências...

Apenas isso... disse...

Parabéns pelos textos...
vou te linkar no meu blog para passar mais vezes por aqui! =)

Essas duas conclusões - título do texto e do 'ivich' - já exprimiram o que penso sobre as reticências, pois, além de usá-las freqüentemente, elas dão ao leitor a conclusão que o autor espera!

Marina disse...

Não há senso de justiça certo que me faça deixar dois baratões vivos no mesmo ambiente que eu. É cruel, mas a pena é de morte, sem direito a defesa.

Adorei o texto. Muito bom mesmo!

Abraço, Marcelo!

Apenas isso... disse...

Ah... então é esse o motivo para a minha insônia, a minha inspiração está roubando o meu lugar na cama ! Obrigada pela ajuda, hj a noite já sei quem derrubar!! rss

BJão

Inside Me disse...

insetosssss....... arghhhhhhhhhh, tenho nojo! mas são seres vivos e se forem inoensivos, deixa os bixinhos lá, rs
texto profundo, poeta, meio melancólicos, mas verídico, são momentos...

Águas de Março disse...

Uau...socorro! Você vive assim?
Estranho você passa uma imagem de homem bem resolvido profissionalmente, de super bem , cheio de sucesso, em um belo e bem decorado loft, um belo carro na garagem...
Ou são seus porões, que são assim?
Pena....

Quase Trinta disse...

lendo o texto a única palavra que vem a minha cabeça é solidão.

[ rod ] disse...

Meu amigo. vim te avisar:


Venha conferir o início de tudo.

Venha sentir o gosto dos meus...

Traga também os seus.

O AveSSo dA ViDa agora se chama dogMas.


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Gusta Fernandes disse...

Há pessoas que vêem a verdadeira beleza no lado obscuro da vida. Realmente a Tristeza é charmosa, bela ao ponto de chamar a atenção e comover além de um sorriso.

Concordo que tenha ali sua dose de inspiração. Mas, esse artista parece estar mais cômodo com o que sua própria tristeza o empôs.

Grande Abraço!

kami disse...

Oi Ma!

Que triste descrição é essa, parece até o porão do fundo poço!
Ninguêm que esteja num lugar como este pode estar bem, que tal abrir as janelas (e matar as baratas) e voltar pro lugar onde eu te coheci, onde o amor existia e o sorriso brilhava tanto que dava até inveja...

Bjusssssssss

BANDEIRAS disse...

Me parece alguém solitário...

Bjs

Narradora disse...

Eu gosto da forma que você mostra o quarto, gosto de ver o que leio, a construção da imagem mem atrai num texto.
Quanto às baratas, prefiro os três pontinhos...rsrs
Bjs

Giane disse...

Oi, Marcelo!

Lindo texto, triste e poético até chegar nas baratas...Eca!!!
Que inseto "terrible"...Argh!
Acabou-se a poesia - ahusahahha!!!

Tem um presentinho para você lá no blog - não sei se você gosta muito de selos...Bem, espero que goste!

Beijos mil!!!

BelaCavalcanti disse...

último post do meu blog pra vc, Ma.......... Titulo: sonbre se achar.
beijsssssssssssss