sábado, 18 de outubro de 2008

Os cegos do castelo (minha tradução)

Eu não quero mais mentir...
Usar espinhos que só causam dor.
Eu não enxergo mais o inferno que me atraiu.
Dos cegos do castelo me despeço e vou.

E se você puder me olhar, se você quiser me achar, e se você trouxer o seu lar...
Eu vou cuidar.
Eu cuidarei muito bem dele, eu vou cuidar.
Eu cuidarei do seu jantar, do céu e do mar.

E de você e de mim...

9 comentários:

Úniica e exclusiiva disse...

This text is my face!!!

Fazendo por onde, cuidar 'dele' e ser cuidada. Sei que o 'Negociador' é o certo!

bjs :***

Inside Me disse...

nossa, o poeta está de volta \o/, oops, os coments para ele, hihihihhihi, que bom viu, tava fazendo falta, qd a gente lia e num podia comentar dava uma decepçãozinha =/ mas ainda bem q tudo volta ao seu eixo, abraços, poeta, se cuida

Ale Danyluk disse...

O exercício da paciência também pode ser uma virtude.
Depois de guardar as garras a calmaria volta.
Sobreviver é sempre necessário e eficiente.
Beijos
Ale

BANDEIRAS disse...

Depois de uma tempestade, vem sempre a leveza das ondas.

Meu caro amigo, que bom voltou a blogosfera.

Beijinhos.

Vivian disse...

...é tão bom quando podemos ser nós mesmos sem máscaras a nos enganar e enganando a sociedade.

lindo post!

bjs

BelaCavalcanti disse...

amei esse texto, marcelo. Alias, gostei de muitos deles. Vou voltar - minas é um muito legal, hein?

Ana Paula Duarte disse...

Olá...te encontrei por akiie...Adorei o teu blog...Aliás adoro essa música!
E gostei da tua criativa e contextualizada adaptação!
Voltarei!
Abarço e parabéns pelo blog!

Quase Trinta disse...

humm ótima versão... adorei

Giane disse...

Oi, Marcelo!

Cuidar da si e de quem se ama já é o bastante...

Gostei muito do novo visual e da mensagem "sub entendida" no nome do blog!

Beijos mil!!!